Relógio de luxo, um gasto que pode se transformar em investimento

 O mundo dos investimentos é extremamente variado e o conselho para o investidor inexperiente é o de sempre diversificar ao máximo a sua carteira de ativos, de modo a minimizar possíveis perdas. Mas, vocês sabiam que não são apenas ações e cotas de fundos que podem trazer vantagens? Bens e propriedades fixas também são alvo da valorização tão esperada por quem investe, e os relógios de luxo são um desses itens.

 Segundo levantamentos feitos por alguns sites especializados, marcas como Rolex, Hublot, Tag Heuer e Breitling podem vir a render 6% de valorização de preço até o ano de 2030. Ainda de acordo com a mesma pesquisa, relógios de luxo ainda mais exclusivos podem ser negociados por quantias milionárias, sendo o preço do mais caro já vendido algo em torno de R$ 180 milhões.

 Sem sombra de dúvidas estamos falando de um mercado de raridades, onde você não paga apenas por um produto, mas também por toda a exclusividade, classe e luxo que a peça pode te proporcionar. Afinal, sejamos sinceros, não há nada melhor do que chegar numa festa ou reunião de negócios e ser notado (a) por estar usando algo exclusivo e que foge ao padrão tradicional.

 Agora, talvez você se pergunte do por que esses relógios serem tão caros, e a resposta tão simples assim. Existem uma série de fatores que podem encarecer o preço dessas peças, como a tecnologia de ponta usada para a sua confecção ou o uso de metais preciosos na sua mecânica ou para enfeitar detalhes externos.    Porém, a principal razão é uma combinação entre alta procura somada a baixa disponibilidade, afinal muitas séries lançam edições limitadas de seus produtos, justamente para valorizar seus itens e restringi-los a um público seleto.

 Não é segredo para ninguém que a Suíça lidera no quesito de fabricação de relógios exclusivos e de boa qualidade. Portanto, também não é surpresa alguma que duas das marcas mais cobiçadas mundo afora, sejam de lá. A Rolex e a Patek Phillipe são as queridinhas nos pulsos de milionários e pessoas importantes mundo afora. Porém, atualmente o modelo Grandmaster Chime da Patek é considerado o campeão em valores, pois um modelo foi leiloado em 2019, por R$ 31 milhões de francos suíços (cerca de R$ 180 milhões de reais atualmente).

 O segundo lugar fica com a Rolex e seu relógio Paul Newman Daytona, sendo ele uma adaptação customizada do modelo Daytona tradicional, feita sob encomenda para o ator que lhe emprestou o nome. Esse é considerado por muitos colecionadores como o Santo Graal dos relógios de pulso e atualmente está avaliado na casa dos R$ 97,2 milhões.

 

 Quero investir nisso, e agora?

 Assim como no caso de qualquer outro tipo de investimento, a recomendação é de que o investidor se informe sobre o mercado e acima de tudo procure fornecedores confiáveis. Casas de leilões com boas referências podem indicar nomes de revendedores autorizados que poderão fornecer peças verdadeiramente autênticas e inclusive fazer avaliações e dar consultorias no caso de futuramente surgir interesse em vender algum item adquirido. Outra dica importante é lembrar-se sempre de que estimativas de valorização não são promessas ou garantias de ganho certeiro. Portanto, estudo, paciência e cautela são essenciais para que você possa obter ganhos com relógios.

 De acordo com um levantamento feito pelo grupo de apostas Betway, o modelo Cosmograph Daytona fabricado pela Rolex teve um aumento de 251% desde o seu lançamento em 1963. Seu preço atual é de R$ 72,4 mil e a estimativa é que o valor salte para R$ 108 mil até o ano de 2030. Essa alta representaria uma valorização de 49,1 em apenas dez anos!

 Então, meus caros investidores e entusiastas, podemos concluir que o investimento em relógios de luxo pode valer muito à pena, porém tudo deve ser feito com ambos os pés no chão e sabendo que essa modalidade de ativo trará retornos apenas ao longo prazo. Para os que desejam apenas apreciar a beleza e o luxo que essas peças proporcionam, agora vocês sabem como esse pequeno item de pulso é valioso e especial.

Sete relógios com maior potencial de valorização até 2030 

 Veja a seguir as sete marcas cujo potencial de valorização superará as expectativas até o ano de 2030. Vale a pena conferir!

Marca Modelo % Preço atual Preço em 2030 % até 2030
Rolex Cosmograph Daytona 251% R$ 72.400 R$ 108.000 49,17%
IWC Portugieser Chronograph 70% R$ 48.700 R$ 63.800 31,01%
Breitling Navitimer 01 169% R$ 51.000 R$ 80.300 57,45%
Omega Seamaster Planet Ocean 18% R$ 32.000 R$ 37.200 16,25%
Tudor Pelagos 26% R$ 26.300 R$ 31.800 20,91%
Tag Heuer Carrera Calibre 1887 Chronograph 127% R$ 24.400 R$ 38.200 56,56%
Hublot Classic Fusion Chronograph 17% R$ 68.600 R$ 78.800 14,87%

 

Mercado de luxo cresceu até 93% durante a pandemia

 A pandemia teve um grande impacto em todos os setores da economia brasileira e mundial, isso é inegável. O isolamento social fez com que a pessoas começassem a comprar mais via online e o consumidor passou a ter um perfil de compra mais imediatista, adepto “a comprar com apenas um clique”. Sejamos sinceros, não existe nada melhor do que poder comprar o que desejamos, sem ter que sair de casa e enfrentar longas filas de pagamento, não concorda?

 Segundo um estudo feito pela Consultoria Euromonitor International, até o ano de 2023 o mercado de luxo movimentará em torno de R$ 29 bilhões de reais, sendo que o canal online desse segmento pode captar 30% do mercado até 2025.   Portanto, mesmo com todas as adversidades advindas da COVID-19 os itens de luxo ainda continuarão sendo um bom negócio para quem quer investir e é claro para os que sabem e podem aproveitar a vida. E você amigo (a) leitor (a), é uma dessas pessoas privilegiadas?